Desabafo: “Como você cresceu…”

novembro 22, 2012

Como eu mencionei lá no sobre, meu plano sempre foi adotar um gato adulto. Nunca tive um gatinho (minha mãe teve uma siamês, quando eu era bem pequena), e eu tinha medo de filhotes: de deixar muito tempo sozinho, de não saber educar direito, do modo “gato louco” que rola quando o belzebu encarna no bichano e nem exorcismo tira (eu sei que todo gato pira de vez em quando, mas com filhotes a frequência costuma ser bem maior).

brilhante ilustração de como saber quando o seu gato entrou no modo “gato louco”, do Cat vs Human

Só que aí veio o Ned – um nenê minúsculo de 600g, olhos ainda azuis e pouco mais de 40 dias. E agora ele tá crescendo, quase dobrou de peso. Os olhos já adotaram o tom castanho-dourado permanente. Por um lado, não vejo a hora de vê-lo adulto – de que tamanho ele será? será que vai ter aquele olhar sábio que só um gato adulto tem? – e por outro, a velocidade com que ele está crescendo me assusta e me faz querer que ele seja um filhote manhoso pra sempre.

Mas aí está a maior lição que aprendi convivendo com um gato: cada coisa a seu tempo, e você que deixe de ser neurótica.

“mãe, pára de filosofar e vai abrir o meu sachê…”

Anúncios

6 Respostas to “Desabafo: “Como você cresceu…””

  1. Cris said

    Ó, que amor o Ned meio nenê. Aqui peguei a Mel e a Clara com 6 meses, mas a Benta era um tiquinho, acho que uns 30 dias. Eu imaginava como ela ficaria com “cara de gata” pq ela era um trocinho mesmo. Depois a gente fica morrendo de saudades de gatos bebês…

  2. Karina said

    Muito legal você, a princípio, querer adotar um gato adulto que são sempre os mais rejeitados na hora da adoção. Mas tem coisas que a gente pensa que vai ser de um jeito e acaba sendo de outro….muito melhor!
    Beijos

    • Pinha said

      Oi Karina,
      Acho que, além do que já citei, uma das maiores vantagens de adotar um gato adulto é não ter surpresas quanto ao temperamento do bicho. Um gato filhote pode virar “qualquer coisa”, um adulto você já sabe se ele é espoleta ou tranquilo desde a adoção.
      Já pensei muito como seria se eu tivesse adotado a gatinha da ONG, mas todas as vezes que lembro do Ned minúsculo, pulguento, barrigudo e indefeso agarrado à minha blusa, sei que fiz a melhor escolha.
      Beijos

  3. O bom é que também poderemos acompanhar, pelo blog, o crescimento do Ned. Também fico muito ansiosa para vê-lo como ficarão depois de adultos!!

    Ri alto na parte que descreveu o gato quando fica no modo gato louco, de estar possuído sem possibilidade de exorcismo, kkkkkkkkk!! É a síndrome da Hiperstesia Felina! Realmente assusta um pouco, mas que é engraçado, isso é!!

    Beijos!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: